Ma'Ohi Nui (Ecofalante)

Ainda não entendeu como funciona uma sessão no Videocamp? Clique aqui!

Ecofalante Apresenta:

Ma'Ohi Nui (Ecofalante)

12 anos 2018 113 min

fr

pt-br

Não é possível baixar o arquivo deste filme. A sessão da obra só pode acontecer em locais com conexão à internet. Organize sua sessão clicando aqui.

Ver trailer
Por trinta anos, no final do século XX, o povo do Taiti sobreviveu a dezenas de testes nucleares do governo francês em sua costa. Desde que o país foi colonizado, em 1880, as explosões deixaram o povo taitiano vasculhando os restos de suas ilhas e cultura, em um esforço para manter vivos seus conhecimentos tradicionais. O filme oferece um vislumbre poético do Taiti contemporâneo e das lutas coloniais que seu povo ainda enfrenta, enquanto resistem para sustentar seu modo de vida.

Dirigido por

Annick Ghijzelings

Produção

Isabelle Truc

Coprodução

--

Patrocínio

--

Apoio Oficial

--

Categoria

Documentário

0 Avaliação
0 Sessões
0 audiência
0 aud.total
  • Online (YouTube, Vimeo, etc)
  • Sessões Públicas via VIDEOCAMP
  • Cinema
  • Sob Demanda (iTunes, Now, etc)
  • Outras mídias (DVD, Blu-ray, mídia kit, etc)

Comentários

Ficha completa

Ma'Ohi Nui (Ecofalante) (2018)

Classificação etária: 12 anos

Descritores de conteúdo: Drogas Lícitas, Conteúdo Impactante

Não é possível baixar o arquivo deste filme. A sessão da obra só pode acontecer em locais com conexão à internet. Organize sua sessão clicando aqui.

Dirigido por Annick Ghijzelings

Produção Isabelle Truc

Coprodução --

Patrocínio --

Apoio Oficial --

Categoria Documentário

Tema Política Questões raciais Saúde pública

ODSs ODS 3 - Saúde e Bem-estar, ODS 7 - Energia Acessível e Limpa, ODS 11 - Cidades e Comunidades Sustentáveis, ODS 16 - Paz, Justiça e Instituições Eficazes

Áudio e Legenda

Audio French

Legenda Portuguese BR

Closed Caption --

Audiodescrição --

Linguagem de Sinais --

Sinopse

Por trinta anos, no final do século XX, o povo do Taiti sobreviveu a dezenas de testes nucleares do governo francês em sua costa. Desde que o país foi colonizado, em 1880, as explosões deixaram o povo taitiano vasculhando os restos de suas ilhas e cultura, em um esforço para manter vivos seus conhecimentos tradicionais. O filme oferece um vislumbre poético do Taiti contemporâneo e das lutas coloniais que seu povo ainda enfrenta, enquanto resistem para sustentar seu modo de vida.