Feridos pelo Estado
Organize uma exibição

Ainda não entendeu como funciona uma exibição no Videocamp? Clique aqui!

Agência Pública Apresenta:

Feridos pelo Estado

Livre 2017 28min

pt-br

pt-br

O download deste filme está disponível para exibições via Videocamp. Organize sua exibição clicando aqui.

Ver trailer
O documentário “Feridos pelo Estado” investiga o que mudou e o que permaneceu igual na relação do Estado brasileiro com as manifestações populares entre 1977 e 2017, a partir de três casos. Os protestos contra os preços do transporte público em junho de 2013 deram visibilidade ao modo como o Estado reage a manifestações populares no Brasil. No entanto, a repressão violenta aos movimentos de rua antecede as chamadas Jornadas de Junho. Um exemplo é o episódio conhecido como invasão da PUC, que aconteceu no campus Perdizes da universidade, em São Paulo, há 40 anos. A invasão da PUC guarda semelhanças com casos recentes, como o do fotógrafo Sérgio Silva e o da estudante Deborah Fabri, ambos atingidos no olho esquerdo pela munição menos letal disparada pela polícia.

Dirigido por

Leonardo Blecher

Produção

Agência Pública de Jornalismo Investigativo

Coprodução

TV PUC

Patrocínio

--

Apoio Oficial

--

Categoria

Documentário

4,5 Avaliação
4 Exibições
175 audiência
175 aud.total
  • Online (YouTube, Vimeo, etc)
  • Exibições Públicas via VIDEOCAMP
  • Cinema
  • Sob Demanda (iTunes, Now, etc)
  • Outras mídias (DVD, Blu-ray, mídia kit, etc)

Comentários

Ficha completa

Feridos pelo Estado (2017)

Classificação etária: Livre

O download deste filme está disponível para exibições via Videocamp. Organize sua exibição clicando aqui.

Dirigido por Leonardo Blecher

Produção Agência Pública de Jornalismo Investigativo

Coprodução TV PUC

Patrocínio --

Apoio Oficial --

Categoria Documentário

Tema Direitos Humanos Cultura Questões sociais

ODSs --

Áudio e Legenda

Audio Portuguese BR

Legenda Portuguese BR

Closed Caption --

Audiodescrição --

Linguagem de Sinais --

Sinopse

O documentário “Feridos pelo Estado” investiga o que mudou e o que permaneceu igual na relação do Estado brasileiro com as manifestações populares entre 1977 e 2017, a partir de três casos. Os protestos contra os preços do transporte público em junho de 2013 deram visibilidade ao modo como o Estado reage a manifestações populares no Brasil. No entanto, a repressão violenta aos movimentos de rua antecede as chamadas Jornadas de Junho. Um exemplo é o episódio conhecido como invasão da PUC, que aconteceu no campus Perdizes da universidade, em São Paulo, há 40 anos. A invasão da PUC guarda semelhanças com casos recentes, como o do fotógrafo Sérgio Silva e o da estudante Deborah Fabri, ambos atingidos no olho esquerdo pela munição menos letal disparada pela polícia.